Feliz dia as mães e aos filhos

"O primeiro espelho da criatura humana é o rosto da mãe: A sua expressão, o seu olhar, a sua voz. [...] É como se o bebê pensasse: Olho e sou visto, logo, existo!" - D. Winnicott

A maternidade é uma experiência única e particular para cada mulher, um momento esperado em que se sente realizada plenamente. No desejo de ser mãe, constrói um laço com seu bebê, onde vivencia trocas que serão a base para ele descobrir o mundo.

É necessário alguém que cuide, alimente, interprete e ensine: a falar, andar, comer, etc. Via de regra, esse outro é a mãe que exerce tal função. O nosso desenvolvimento acontece pelo desejo do outro, que nos sustenta orgânico e subjetivamente, dessa forma poder afirmar que necessitamos do Outro para viver, aprender, conhecer, desejar, enfim tornar-se um sujeito de desejo.

Mesmo antes de a criança nascer ela já está presente na fala em especial da mãe, como diz Berges (2008, p.163): “Mesmo antes que a criança nasça, ela é falada. As esperanças dos pais, o desejo ou o receio que se pareça com este ou com aquele, quer seja do lado do pai ou da mãe, que ela pareça ou não com seu verdadeiro pai, fala-se dela. Em suma, a fala e a linguagem constituem uma necessidade na qual a criança aparece”.

A mãe é o espelho do bebê, proporcionando a este um desenvolvimento do ego (eu), uma sensação de existir, de ver-se como indivíduo. Segundo Winnicott (1982) quando o bebê olha sua mãe e este o vê, ele sente-se existindo. Podendo ele também, se permitir olhar e ver. É a mãe inicialmente, quem irá denominar as experiências afetivas do bebê, permitindo-o reconhecer, observar e obter maior compreensão sobre seus sentimentos, ou seja, quem ele é ou tornar-se-á.

A função materna gesta comportamentos, brindando coerências e coordenações às funções do bebê. Ficando assim estabelecidas as bases para a capacidade futura da criança de auto-regular-se em suas interações com o mundo exterior.

Bendito é o ventre que gera vida, bendito o ‘coração’ que se torna ‘útero’ e gera da mesma importância filhos. Bendito sois vós mulheres que tem o privilégio de serem mães. Bendito somos todos nós que temos o privilégio a quem chamar de mãe.

Amemos com intensidade, com verdade, deixando os desencontros da vida de lado e nos encontrando sempre uns com os outros. Porque tudo passa muito rápido, quando damos conta já não temos mais, tudo passa muito rápido. Feliz dia as mães e aos filhos.

Vanderlei Suzano


Menu