borboleta


Entre Jardins e Borboletas

Mário Quintana disse certa vez... “O segredo é não correr atrás das borboletas... É cuidar do jardim para que elas venham até você”.

Às vezes numa busca incessante por algo que possa preencher as ‘faltas’ de nossa alma, nos enredamos numa busca frenética por coisas e pessoas que possam suprir tais faltas. E quando menos percebemos estamos enredados em nossos próprios laços.

Desta forma, a angústia e desespero que surge desse ‘desenho’ (afetivo), são sempre complexos. Parece-me que tudo ainda é vazio, sem ligas, sem significados, e completamente sem vida. O tempo todo estamos correndo atrás de borboletas.

Pois bem, então com o passar do tempo, pelas crises que passamos e pelas escolhas equivocadas que fazemos, descobrimos que o grande segredo da vida é “... cuidar do jardim”.

Quando ainda estamos ‘correndo atrás de borboletas’ ainda estamos acreditando na nossa autossuficiência, atropelando o tempo todo nossa existência, trilhando caminhos independentes que nos deixam cada vez mais dependentes da ‘morte’.

Correr “atrás das borboletas" é desacreditar no amor do Pai por mim, é acreditar que posso com minhas forças responder a todas as incongruências do existir. É ter convicções mortíferas e escolhas danosas.

No entanto quando passamos a existir segundo a outra parte da frase do Mario que diz: “... o segredo é cuidar do jardim...”, então descobrimos um mundo que se abre diante de nossos olhos com graça e perdão.

Descobrimos que podemos existir sem cárceres. Caminhar pacificadamente mesmo em meio a dores singulares como essa que eu e você possamos estar vivenciando nesse momento. Porque quando “cuido do meu jardim” descubro que “aquele que cuida de aves e lírios”, também cuida de mim. E este que cuida de mim fará com que eu caminhe de forma leve para o bem da vida.

Cuidar do jardim é engravidar o coração de uma certeza de coisas que se esperam. Cuidar do jardim é vislumbrar o olhar cuidadoso do Criador, é ser agasalhado pelo cuidado Dele todos os dias. Mesmo que em muitos desses dias enquanto caminhamos, vamos semeando com lágrimas o existir.

Hoje eu decidi, depois de dias de tentativas, sinalizações e espera deixar de correr atrás das borboletas e definitivamente, cuidar do meu jardim.

Um beijo na alma,



Pp e Psic. Vanderlei Suzano

Menu